Retornando…

Ainda não tenho tempo ideal para postar com uma boa frequência aqui no blog, e ele não tem o visual que tanto planejo na minha mente, mas enquanto isso não se resolve, vim falar porque gosto tanto de Nova York!

Sei que muitas pessoas pensam, que viajar para NY é caro ou que é cidade só para quem gostar de gastar em lojas (em grande parte não deixa de ser verdade, você vai a loucura com a infinidade de produtos e o preço baixo), mas para mim esse sonho já vem desde a infância.

Desde pequena, através dos filmes e séries, eu me encantava com cada pedacinho de Nova York que era mostrado. As reportagens especiais em telejornais e programas na Rede Globo não passavam despercebidas.

Não sei se são as luzes, os preços inacreditáveis, pontos turísticos incríveis e para todos os gostos, metrô (que te leva para qualquer lado da cidade), a diversidade de etnias, enfim… É aquele tipo de sonho que só você entende, que só você sabe o quanto mexe contigo, é tipo inexplicável…

Já se passou seis meses que fui para NY, onde fiquei por um período de 3 semanas. Se é pouco tempo? Lógico, não deu pra ver tudo, até porque lá é o tipo de cidade que sempre tem coisas novas há toda hora.

O que eu fiz? O que eu achei de mais legal? O que dá pra perder e o que não dá? Assim que passar o período do TCC (que adivinha é sobre os episódios de Nova York no programa O Mundo Segundo Os Brasileiros <3) postarei tudo de legal que fiz e descobri e lá, e também trarei muitos recortes interessantes da cidade!

Até breve, beeijos

O metrô de Nova York

Uma análise do funcionamento do metrô de Nova York foi reportagem do projeto Anda SP, veiculado na Globo, nos telejornais locais de São Paulo (Bom Dia São Paulo, SPTV 1º e 2º edição) de maio a agosto deste ano. Além da Grande São Paulo, o projeto mostra iniciativas em outras cidades, estados e países, que encontraram soluções para driblar o problema da mobilidade.

O correspondente Alan Severiano fala sobre o metrô de Nova York:

O metrô de Nova York chega a todos os cantos, tem hora marcada para passar, funciona 24 horas por dia e não tem confusão na hora do embarque. Ele é meio sujo e as estações não são tão bonitas assim como as de São Paulo, mas é eficiente e cobre a cidade inteira.

Nova York é uma cidade enorme, com uma região metropolitana gigantesca e, ao mesmo tempo, carente de espaço. São muitas coisas em comum com São Paulo, mas o jeito como a cidade se movimenta é bem diferente.

O pedaço de terra que dá dor de cabeça aos engenheiros de tráfego fica na parte de baixo da ilha de Manhattan. Essa área recebe, todos os dias, 4 milhões de pessoas. Gente que chega de outros bairros, outras cidades e até estados vizinhos.

É de metrô e de trem que a maioria das pessoas viaja. Os ônibus são usados apenas para pequenos trajetos. Só uma em cada cinco pessoas chega de carro, que disputa espaço com 13 mil taxis.

Os carros não são minoria. Nova York tem trânsito pesado, mas não se compara ao de São Paulo. Estacionar em Manhattan é caro, os passageiros têm opções mais rápidas e eficientes e o governo desestimula o uso do carro, com a implantação de faixas de bicicleta, por exemplo.

Em Manhattan, uma diária de estacionamento chega a custar mais de R$ 70. Até parar na rua é caro. A primeira hora, em uma espécie de zona azul, custa R$ 8. Os túneis que ligam a cidade têm praças de pedágio, com tarifas de até R$ 24. A mensagem é clara: os carros devem ficar fora de Manhattan.

O transporte público da cidade, que era excelente no começo do século passado, entrou em crise nos anos 50. Nos anos 80 começou a virada, com um plano de investimento de US$ 90 bilhões.

Assista a reportagem: http://goo.gl/2RybH7

Fonte: G1

Cidade de Nova York planeja criar praia em Manhattan

Manhattan finalmente terá sua própria praia. A poucos minutos de Wall Street, do Empire State Building e de outros marcos que definem a cidade de Nova York será criado um parque de areia e surf no extremo sul da ilha.

O projeto de 7 milhões de dólares chamado Brooklyn Bridge Beach, cujos detalhes foram divulgados no dia 1º de agosto, abrange uma área sob a sombra da ponte do Brooklyn, na foz do rio East. Uma ressalva é a água de esgoto contaminada, que a maioria dos nova-iorquinos consideram muito poluída para nadar.No local será criado um Pântano de Sal e mangues que servem como proteção contra futuras tempestades e inundações. A área também contará com assentos, uma base para caiaques, um local para pesca, passeios arborizados e quiosques.

Desenho mostra ideia do que pode vir a ser a praia na ilha de Manhattan Foto: AP

Desenho mostra ideia do que pode vir a ser a praia na ilha de Manhattan
Foto: AP

 

Fontes: G1 e Portal Terra

 

Central Park em 360 graus

Google traz para perto dos usuários o local mais amado de Nova York, o Central Park.

Em parceria com o Central Park Conservancy, foram coletadas imagens em 360 graus de todas as trilhas, caminhos e praças, tornando públicas e acessíveis as vistas tanto de áreas famosas quanto daquelas escondidas, que apenas os tradicionais nova-iorquinos percorrem.

Confere o vídeo:

Fonte: www.brainstorm9.com.br

Nova York ganha seu prédio mais alto

 A última peça da torrewtc_ap(1) do World Trade Center foi instalada na sexta, dia 10,  por trabalhadores da construção civil de Nova York. Com o novo item, uma enorme antena em espiral de 124 metros, o prédio tornou-se o mais alto da cidade, com 541 metros.

O arranha-céu, conhecido oficialmente como One World Trade Center e popularmente como Freedom Tower (Torre da Liberdade), é o eixo central do novo complexo construído no Marco Zero, onde as torres gêmeas do antigo complexo desabaram no dia 11 de setembro de 2001, no atentado terrorista que matou três mil pessoas. A construção foi uma parceria entre o desenvolvedor Larry Silverstein e a Autoridade Portuária de Nova York e New Jersey, proprietária do terreno

Depois de ser içada, a antena do One World Trade Center foi instalada, em clima de comemoração por dezena de espectadores e trabalhadores. Para os nova-iorquinos, a inauguração representa a prova de que a cidade está se recuperando dos atentados terroristas.

Além de antena de transmissão, o objeto será visível a quilômetros de distância para servir como um farol para aviões. Com a peça, o One World Trade Center completa a altura, em medida americana, de 1.776 pés, simbolizando o ano de 1776, quando os Estados Unidos declararam sua independência.

Assista ao vídeo com imagens do edifício:
Fontes: O Estadão e O Dia Online